shutterstock_1504035356-scaled.jpg
shutterstock_1897048546-scaled.jpg

créditos: Shutterstock & Segue Viagem

EXIGÊNCIAS PARA TRANSPORTAR PET EM AVIÕES

 

Primeiramente, você deve solicitar o serviço junto à companhia escolhida para a viagem. Em seguida – e após o pagamento da taxa, que pode variar de acordo com o peso do pet –, é preciso confirmar se a quantidade de bichinhos por voo já não foi excedida. Além disso, tenha em mãos documentos como atestado de saúde e carteira de vacinação. Caso a viagem seja internacional, ainda pode incluir, por exemplo, Certificado Zoossanitário Internacional (CZI), Certificado Veterinário Internacional (CVI) e laudo de sorologia. Alguns destinos exigem até mesmo um comprovante de microchip de localização.

 

AFINAL, ONDE O MEU BICHINHO VAI VIAJAR?

 

Em viagens nacionais, empresas como Azul, LATAM e GOL permitem que o pet fique junto com você na cabine. Isso, claro, desde que ele se enquadre nas regras. Mas lembre-se: o bichinho deve viajar dentro da caixa de transporte, a qual, por sua vez, deve permanecer debaixo do seu assento.

 

Na Azul, o peso máximo (animal + caixa) é de até 5 kg e só são autorizados bichinhos com mais de quatro meses de idade. Na LATAM, por outro lado, o peso pode chegar a 7 kg; contudo, eles só transportados em aviões airbus específicos. Já a GOL aceita pets de até 10 kg e também exige idade mínima de quatro meses. De toda forma, esses são apenas alguns exemplos, portanto cheque todos os detalhes com as companhias.

 

EXISTE A POSSIBILIDADE DE O MEU BICHO DE ESTIMAÇÃO VIAJAR NO PORÃO DA AERONAVE?

    

Sim, ainda mais se ele exceder o peso permitido dentro da cabine. Enfim, se essa for sua situação, identifique o pet e a caixa de transporte. Neste caso, no momento do desembarque será preciso ir até a área de retirada de bagagens para reencontrá-lo.

 

EXISTE ALGUMA REGRA DIFERENTE PARA VIAGENS INTERNACIONAIS?

 

No que se refere a viagens internacionais, é preciso ficar atento a três fatores. São eles: descobrir se a espécie é aceita no país em questão, quais vacinas são exigidas e a emissão do Certificado Zoossanitário Internacional (CZI). Se a sua aventura for pelos países do Mercosul, uma excelente alternativa é fazer o Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos, já que ele serve como atestado de saúde no Brasil e substitui o CZI em outros destinos.

Além disso, caso o seu pet não seja um cachorro ou um gato é importante saber que você precisará dispor de uma Guia de Trânsito Animal (GTA). Este documento é emitido pelo Ministério da Agricultura ou pelo órgão de defesa sanitária local.

 

BÔNUS: DICAS PARA VIAJAR DE AVIÃO COM O PET

 

Que tal começar a adaptá-lo com a bolsa ou a caixa de transporte que será utilizada durante a viagem? Essa etapa é bem importante e deve ser mais ou menos 15 dias antes. Saca só essas sugestões: deixe a caixa sempre aberta e acessível para ele ir se familiarizando com o local; faça dela um espaço para brincar e ofereça petiscos; coloque a refeição ao menos uma vez por dia dentro da caixa; e posicione o bichinho dentro dela para ele ir se acostumando com a ideia de ficar um pouquinho longe de você.

Mas ainda não acabou! Anote mais algumas dicas:

  • Quando estiver chegando a data da viagem, é recomendado aparar as unhas e dar um banho no bichinho;

  • No dia do embarque, dê alimentos leves e no período de duas a três horas antes do embarque a fim de evitar enjoos;

  • Ofereça água em casa, no aeroporto e antes do voo para ele se manter hidratado;

  • Evite embarcá-lo muito cedo, pois assim ele fica mais tempo junto com você;

  • Coloque uma fralda descartável dentro da caixa para as necessidades do pet;

  • Deixe uma peça de roupa junto com ele. Dessa maneira ele se sentirá mais protegido e seguro.​